Search

Confira alguns filmes incríveis que talvez você não tenha visto

É sempre bom tem um bom filme na manga para indicar na hora que alguém perguntar, isso é claro se você não for um cinéfilo hipster com um sentimento de posse absurdo sobre algo que nunca lhe pertenceu.

Então resolvemos indicar alguns filmes incríveis, mas que geralmente passam longe das listas de discussões e por vezes são esquecidos na hora de uma indicação. Confira a lista abaixo e deixe as suas recomendações nos comentários:

 

Vá e Veja (Idi i Smotri, 1985)

Impressionante e rigoroso filme russo. Um dos mais importantes dos últimos tempos. Vá e Veja é uma experiência de dor e perda. Considerado selvagem e lírico, o filme narra a trajetória de Florya, um jovem separado de seus comandantes durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Edifício Master (2002)

Durante sete dias, uma equipe de cinema filmou o cotidiano dos moradores do Edifício Master, situado em Copacabana, a um quarteirão da praia. O prédio tem 12 andares e 23 apartamentos por andar. Ao todo são 276 apartamentos conjugados, onde moram cerca de 500 pessoas. Eduardo Coutinho e sua equipe entrevistaram 37 moradores e conseguiram extrair histórias íntimas e reveladoras de suas vidas.

 

Tartarugas Podem Voar (Lakposhtha Parvaz Mikonand, 2004)

Em uma vila de curdos no Iraque, na fronteira entre o Irã e a Turquia e pouco antes do ataque americano contra o país, os moradores locais buscam desesperadamente uma antena parabólica, na intenção de ter notícias via satélite.

 

Os Amantes do Círculo Polar (Los Amantes del Circulo Polar, 1998)

Ana e Otto são duas crianças que um dia se conhecem na saída do colégio. Nesse mesmo momento nascerá uma história de amor secreta e circular que se encerrará dezessete anos depois na Finlândia, no mesmo círculo polar ártico. O filme nos narra a bela e dramática história de amor que vivem os dois protagonistas, desde seu primeiro encontro na infância até os vinte e cinco anos de idade.

 

Corvos (Wrony, 1995)

Uma criança de cerca de 10, apelidada de “Corvo” (porque ela imita o pássaro) não tem amigos e rejeita o abraço dos seus professores. Em casa, ela é deixada sozinha, sua mãe a esquece enquanto diverte amantes ou dorme sozinha. Uma manhã, a pequena vê uma criança abraçada por ambos os pais e isso a comove. Quando a criança é deixada sozinha, ela a sequestra na tentativa de ser sua mãe. E começa aí uma jornada de luz e inocência na busca da pequena por afeto e carinho.



Criado em meio a filme violentos da sessão da tarde dos anos 90, meu gosto para filme não poderia fugir muito disto. Nunca dispenso um bom filme de ação, daqueles repletos de explosões, carros fazendo grandes saltos, ou alguma cena de luta com diversos tipos de torções, além de socos e chutes capaz de fazer o adversário desmaiar com apenas um golpe.