Search

Confira alguns filmes para quem não tem preguiça de pensar

Não há dúvidas que o cinema é muito mais do que entretenimento, e se trata de uma das formas de arte mais impactantes, que tem a capacidade não só de ser contemplado, mas também de transmitir mensagens, implantar pensamentos, e promover mudanças profundas a longo prazo.

Pensando nisto resolvemos criar uma lista não para apaziguar nem para explicar o mundo em meia dúzia de mensagens em filmes, mas sim para quem prefere perguntas à respostas. Confira as nossas escolhas abaixo e deixe as suas recomendações nos comentários:

 

Mapas para as Estrelas (Maps To The Stars)

O longa, dirigido por David Cronenberg e roteirizado por Bruce Wagner, não tem pudor e tão pouco nojo de abordar de forma realista o submundo dos bastidores de Hollywood.

Sinopse: Os Weiss são uma família arquetípica da dinastia de Hoollywood. O pai, Sanford é um psicólogo e técnico motivacional que fez uma fortuna com livros de autoajuda; a mãe, Christina, passa a maior parte dos seus dias cuidando da carreira do filho Benjie, um astro-mirim de 13 anos. Uma das clientes de Sanford, Havana, é uma atriz que sonha em filmar um remake do filme que fez sua mãe, Clarice, famosa na década de 60. Clarice está morta e Havana sonha com ela. Somando-se à mistura tóxica, Benjie acaba de voltar da reabilitação que ele começou aos 9 anos e sua irmã, Agatha, acaba de ser liberada do sanatório em que foi tratada por piromania criminosa.

 

Precisamos Falar Sobre o Kevin (We Need to Talk About Kevin)

Escrito e dirigido pela cineasta Lynne Ramsay, o longa é um verdadeiro exercício sobre a capacidade de empatia, que questiona a relação de causa e efeito e a máxima de que toda mulher nasceu para ser mãe.

Sinopse: Eva (Tilda Swinton) mora sozinha e teve sua casa e carro pintados de vermelho. Maltratada nas ruas, ela tenta recomeçar a vida. O motivo disso vem de seu passado, quando vivia com seu marido Franklin (John C. Reilly) e seus dois filhos: Kevin (Jasper Newell/Ezra Miller) e Celia (Ashley Gerasimovich). Seu relacionamento com o primogênito, Kevin, sempre foi complicado, mas Eva jamais imaginaria o que ele seria capaz de fazer.

 

A Bela da Tarde (Belle de Jour)

O clássico europeu de 1967, escrito e dirigido por Luis Buñuel, vai muito além da história de uma linda mulher burguesa que se prostitui por prazer. Se trata de um mergulho nas profundezas da natureza insondável do desejo, tudo embalado com uma bela criatividade narrativa.

Sinopse: A história de Séverine (Catherine Deneuve), jovem rica e infeliz que procura um discreto bordel para realizar suas fantasias sexuais e conseguir o prazer que seu marido não consegue lhe dar.

 

Réquiem para um Sonho (Requiem for a Dream)

O cineasta Darren Aronofsky dava ao mundo a sua grande demonstração da capacidade de tirar as pessoas da sua zona de conforto através de um filme. Uma verdadeira viagem da maneira mais vertiginosa possível ao íntimo de cada um de nós.

Sinopse: Uma visão frenética, perturbada e única sobre pessoas que vivem em desespero e ao mesmo tempo cheio de sonhos. Harry Goldfarb (Jared Leto) e Marion Silver (Jennifer Connelly) formam um casal apaixonado, que tem como sonho montar um pequeno negócio e viverem felizes para sempre. Porém, ambos são viciados em heroína, o que faz com que repetidamente Harry penhore a televisão de sua mãe (Ellen Burstyn), para conseguir dinheiro. Já Sara, mãe de Harry, viciada em assistir programas de TV. Até que um dia recebe um convite para participar do seu show favorito, o “Tappy Tibbons Show”, que transmitido para todo o país. Para poder vestir seu vestido predileto, Sara começa a tomar pílulas de emagrecimento, receitadas por seu médico. Só que, aos poucos, Sara começa a tomar cada vez mais pílulas até se tornar uma viciada neste medicamento.

 

Um Estranho no Ninho (One Flew Over the Cuckoo’s Nest)

O clássico filme de Milos Forman, foi pensado em 1975, mas assista ao filme e pense um pouco se a realidade do mesmo ainda não está no mundo a nossa volta, e como possivelmente nunca iremos supera-la.

Sinopse: Randle Patrick McMurphy (Jack Nicholson), um prisioneiro, simula estar insano para não trabalhar e vai para uma instituição para doentes mentais. Lá estimula os internos a se revoltarem contra as rígidas normas impostas pela enfermeira-chefe Ratched (Louise Fletcher), mas não tem ideia do preço que irá pagar por desafiar uma clínica “especializada”.



Criado em meio a filme violentos da sessão da tarde dos anos 90, meu gosto para filme não poderia fugir muito disto. Nunca dispenso um bom filme de ação, daqueles repletos de explosões, carros fazendo grandes saltos, ou alguma cena de luta com diversos tipos de torções, além de socos e chutes capaz de fazer o adversário desmaiar com apenas um golpe.