Search

Confira alguns filmes para quebra o tabu da monogamia

Não há dúvidas que a monogamia é um contrato quase que não escrito e assinado por praticamente todo mundo, mas ainda existem algumas pessoas que são adeptas do amor livre e quebram esse tabu, dando um basta a monogamia, e claro que isso é retratado no cinema.

Então a lista de hoje do Cinema a Dois é para você se inspirar (ou não) em quebra o tabu da monogamia. Confira as indicações abaixo e deixe as suas recomendações nos comentários:

 

Canções de Amor (Les Chansons D’amour, 2007)

O filme, um musical, acompanha a história do jornalista Ismael que namora a bela Julie e vive um romance a três com Alice. O triângulo amoroso será interrompido por uma tragédia que muda os rumos da trama.

 

A Cidade do Futuro (2016)

Nos anos 70, cerca de 73 mil pessoas foram deslocadas de uma região do norte da Bahia para dar lugar à construção da Hidrelétrica de Sobradinho, durante o regime militar. Quatro cidades e dezenas de vilarejos foram completamente submersos e forçaram uma das maiores migrações compulsórias desde a Segunda Guerra Mundial. Em 2015, quatro atores revisitam as suas próprias histórias através de encenações.

 

O Sexo dos Anjos (El Sexo de Los Ángeles, 2012)

O filme conta a história de amor de Bruno e Carla, um casal de jovens que ao conhecer Rai, um ‘breaker’ carismático e sedutor, decidem enfrentar com coragem e sem tabus as regras sobre infidelidade, amor e papéis sexuais.

 

Sócios no Amor (Design for Living, 1933)

Dois americanos partilham um apartamento em Paris, o dramaturgo Tom Chambers e o pintor George Curtis, e ambos possuem uma queda de espírito por Gilda Farrell. Quando ela não consegue decidir-se qual deles prefere, ela propõe um “acordo de cavalheiros”: ela vai morar com eles, mas eles nunca terão relações sexuais. Mas quando Tom vai a Londres para supervisionar a produção de uma de suas peças, deixando Gilda sozinha com George, quanto tempo será que seu acordo de cavalheiros durará?

 

Os Sonhadores (The Dreamers, 2003)

Matthew (Michael Pitt) é um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Lá ele conhece os irmãos gêmeos Isabelle (Eva Green) e Theo (Louis Garrel). Os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos enquanto Paris vive a efervescência da revolução estudantil.



Criado em meio a filme violentos da sessão da tarde dos anos 90, meu gosto para filme não poderia fugir muito disto. Nunca dispenso um bom filme de ação, daqueles repletos de explosões, carros fazendo grandes saltos, ou alguma cena de luta com diversos tipos de torções, além de socos e chutes capaz de fazer o adversário desmaiar com apenas um golpe.


  • Eduardo Preto

    Quem não sabe ganhar dinheiro é contra o capitalismo, quem não tem colhões para segurar a mulher é contra a monogamia, eita geraçãozinha chá de merda essa.

  • W35l3y 51lv1n0

    faltou a franquia de filmes: Garotas Selvagens tbm